MENU

A saga dos tropeiros colore o desfile de 20 de setembro

Publicada em 20/10/2018

Data tida como a mais importante do calendário para muitas pessoas no Rio Grande do Sul, o 20 de setembro é dia em que se comemora o início da Guerra dos Farrapos. Em Santa Maria, a comemoração sempre conta com o tradicional desfile pela avenida Nossa Senhora Medianeira, no qual o Departamento Tradicionalista Querência das Dores orgulhosamente participa.

A abertura do desfile dorense foi realizada pelo grupo de cavalarianos do Departamento Campeiro da entidade. Assim como na chegada da Chama Crioula, os associados foram orgulhosamente coordenados pelo peão João Batista Schlotfeldt

As primeiras caminhonetas trouxeram o casal patrão do Querência das Dores, Anaides e Zeno de Souza, além das prendas da entidade: Eduarda Weirich, 1ª prenda; Bruna Campos, 1ª prenda juvenil;  Yasmin Alves, 2ª prenda juvenil; Julia Araujo, prenda simpatia.

No primeiro caminhão, seguiram as prendas mirins, veteranas, piás e Departamento Cultural do DT Querência das Dores. A temática do carro foi uma homenagem a Olmiro Perreira Bastos. O homenageado foi professor, escritor, palestrante, ex-coordenador regional,  ex-conselheiro do MTG, criador de várias entidades tradicionalistas e incentivador da cultura gaúcha. Por meio desta parte do desfile, a entidade agradeceu por sua contribuição à aprendizagem dos gaúchos deste rincão.

O segundo caminhão trouxe a temática dos festejos escolhida pelo Movimento Tradicionalista Gaúcho em 2018 — o tropeirismo. No carro, o departamento cultural buscou mostrar a figura do tropeiro biriva e suas manifestações artísticas e culturais. "Apesar do trabalho árduo de levar as tropas por longos caminhos, o tropeiro quando parava tinha momentos de descontração e alegria, quando cantava e dançava junto a seus companheiros de tropeada. As danças executadas por eles eram danças de desafio, bailadas só por homens, entre elas temos a dança dos fações, o chico do porrete, o fandango sapateado e a chula", aponta a diretora cultural e responsável pela pesquisa e coordenação do desfile, Maria Cristina Rigão Iop. As paradas nos “potreiros” era o momento em que os tropeiros birivas aproveitavam para se distrair. 

O fechamento do desfile foi com terceiro caminhão, que levava uma homenagem a dois ícones do tradicionalismo gaúcho: Paixão Côrtes e Renato Borguetti. Renato Borguetti ou simplesmente “Borguettinho” é um musicista gaúcho que se destaca por levar nossa música internacionalmente, tocando ritmos como o vaneirão, a milonga, o chote, brilhantemente executados em sua gaita ponto Já João Carlos Paixão Côrtes era agrônomo, mas ficou conhecido por ser folclorista, compositor, radialista e pesquisador. Junto ao "Grupo dos 8", estruturou o que hoje conhecemos como Movimento Tradicionalista Gaúcho. Por sua importância na disseminação dos feitos e costumes do gaúcho mítico, o Querência das Dores dedicou o encerramento de seu desfile a estas duas figuras.

Confira outras imagens

Anexos